Artesanato Baiano – REGINA LUCIA BORGES DE OLIVEIRA

Propomos aqui algumas ações que trará um legado histórico para a gestão do Governo do Estado da Bahia.
– Criar um Conselho Estadual do Artesanato, órgão colegiado de caráter permanente e constituído de forma igualitária entre governo e sociedade civil, de caráter consultivo e deliberativo com a finalidade de promover a política estadual do Artesanato, fixando diretrizes para o desenvolvimento, à produção, ao aprimoramento da qualidade,à comercialização e à organização do artesão e do Artesanato do nosso Estado, integrando às políticas públicas Nacional, Estadual e Municipal e da Cultura da autogestão com vistas ao desenvolvimento econômico sustentável e socialmente humano.
Realizar cursos de qualificação para os artesãos, visando à autonomia socioeconômica, com igualdade no mundo do trabalho, para promover oportunidades concretas de inserção social dos Artesãos.
Estabelecer a Criação de um " fundo especial "para apoiar os programas de capacitação e qualificação das Associações dos Artesãos do Estado, bem como para custear despesas referentes a registros e reconhecimento legal das Associações criadas uma vez que muitas não estão reconhecidas como entidade jurídica devido à falta de recursos financeiros.
Disponibilizar um espaço público, através de concessão de uso, para o funcionamento da sede da Federação de Associações dos Artesãos do Estado da Bahia, a fim de que a mesma possa realizar suas atividades administrativas no atendimento às Associações Federadas.
Disponibilizar em dotação orçamentária, recursos para custear despesas com passagens, hospedagens e alimentação para cobrir todos os gastos geridos pelos artesãos que estiverem participando de eventos como: feiras, congressos, fóruns e seminários estadual e nacional, representando a FAAEB.
Criação de mais editais e fundos voltados para os artesãos baianos.
Promover uma governança mais participativa do setor artesanal.
Criação de um Centro de Referência do Artesanato Baiano no qual os artesãos possam mostrar aos brasileiros e estrangeiros a riqueza do Artesanato do nosso Estado, possibilitando os artesãos
expor e vender os seus produtos artesanais de forma gratuita e permanente.

O que você achou dessa proposta?